Biblioterapia


Idealizado pela professora Jussara Vilar Formiga, da disciplina de Saúde da Criança e do Adolescente, e pela bibliotecária Vanessa Camilo, ambas da Faculdade de Enfermagem Nova Esperança (FACENE), em Mossoró, um projeto tem transformado os dias de crianças internadas no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM).
Denominado Biblioterapia, o projeto consiste na contação de histórias duas vezes por semana para cada criança presente no hospital, inclusive a ala de urgência e emergência, onde a rotatividade dos paciente é bem maior do que na ala de internamentos.
Além das idealizadoras, o projeto conta com a colaboração da ouvidora da faculdade, Ângela Rodrigues Gurgel, e de um grupo de estudantes de enfermagem de diferentes períodos do curso.
A colaboradora Ângela Gurgel explica que como o projeto está iniciando agora, foi decidido que seria selecionado um número menor de estudantes, mas que nas próximas edições do projeto serão abertas mais vagas para outros estudantes poderem participar, facilitando assim o atendimento da demanda e aumentando o número de visitas ao hospital.
As visitas acontecem sempre nas segundas e quartas-feiras, das 18h às 20h.
A proposta do projeto é ajudar na recuperação das crianças que estão nas alas pediátricas do hospital. Segundo a coordenadora da Biblioterapia, essa é uma maneira encontrada para distrair os pequenos, seus pais, e ainda possibilitar conhecimentos para novos públicos.
“A gente realmente acredita que projetos desse tipo ajudam no tratamento, na aceitação do ambiente hospitalar. Possibilita as crianças uma viagem para outros mundos através da leitura. Além disso, algumas crianças criam um vínculo com a contadora de histórias e quer que a leitura sempre seja feita pela mesma estudante”, frisa Jussara Vilar.
O grupo realiza tanto leituras individuais, como leituras coletivas, dependendo da idade das crianças presentes no mesmo quarto. A idade da criança também é fundamental na hora de escolher a história que será contada. “A criança pode escolher a história que quer ouvir entre os livros indicados para sua idade. Além disso, ela pode escolher se quer ouvir a história, ler sozinha, ou ler e contar para a contadora”, lembra Ângela Rodrigues.
E cada criança tem a sua história preferida, as participantes do projeto afirmam que os meninos preferem histórias de aventura, de super-heróis, enquanto as preferidas das meninas são as histórias de princesas.
Crianças e pais felizes
Internado há quase 15 dias devido um problema de artrite, Francisco Thiarly Alves de Souza, de 11 anos, diz que, além do tratamento que as vezes é dolorido, devido às medicações, é ruim ficar no hospital por que está longe de casa e tem saudade dos amigos, de brincar.
A mãe do menino, Andréia Alves de Souza, diz que acha importante a visita das estudantes, porque ajuda os pequenos pacientes a se distraírem, a passar o tempo. “Eles acabam esquecendo o problema, é muito bom”, fala.
Já a mãe do pequeno Gustavo Mazile Santana Torres, de 2 anos e 6 meses, que está internado há mais de 5 dias devido uma infecção na perna, afirma que a leitura anima o seu filho, que vive perguntando quando vai para casa.
Ao todo, o projeto que teve início no mês de setembro, já atendeu 37 crianças.
A coordenadora pede o apoio dos mossoroenses com a doação de livros de histórias infantis, para poder aumentar a variedade da biblioteca do projeto. As doações podem ser feitas na sede da FACENE, que fica na Avenida Presidente Dutra, Alto de São Manoel, ou entrar em contato com a Faculdade que o grupo vai buscar o livro onde o doador estiver.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário